Como Curar uma Fobia

Uma fobia é um medo inten­so de qual­quer coi­sa que não é assim tão peri­go­sa. Exis­tem medos irra­ci­o­nais de qua­se tudo, des­de ara­nhas a altu­ras e a inte­ra­ção soci­al. As fobi­as come­çam geral­men­te na infân­cia ou na ado­les­cên­cia, suge­rin­do que pos­sam ser apren­di­das, mas a mai­or par­te dos paci­en­tes não se lem­bra do inci­den­te espe­cí­fi­co que desen­ca­de­ou o seu medo. A ten­dên­cia para desen­vol­ver fobi­as pare­ce dever-se, sobre­tu­do, a fato­res gené­ti­cos.

O pon­to posi­ti­vo é que as fobi­as estão entre os dis­túr­bi­os psi­quiá­tri­cos mais curá­veis. A tera­pia com­por­ta­men­tal de cur­to pra­zo que se cen­tra em anu­lar a rea­ção do paci­en­te ao seu medo é bas­tan­te efi­caz. Por vezes, esta abor­da­gem é auxi­li­a­da por medi­ca­ção para redu­zir tem­po­ra­ri­a­men­te a fobia e fazer com que seja mais fácil enfren­tar o medo, ou por tera­pia cog­ni­ti­va com­por­ta­men­tal para enco­ra­jar o paci­en­te a repen­sar a sua ati­tu­de em rela­ção aos estí­mu­los que lhe pro­vo­cam o medo.

O tera­peu­ta expõe len­ta­men­te o paci­en­te à situ­a­ção temi­da em peque­nos pas­sos, ouvindo‑o com frequên­cia para se cer­ti­fi­car de que a ansi­e­da­de fica limi­ta­da a níveis acei­tá­veis. Quan­do a ansi­e­da­de come­ça a desa­pa­re­cer, o paci­en­te é expos­to a situ­a­ções reais de for­ma con­tro­la­da para lhe ser demons­tra­do que não ver­da­dei­ra­men­te peri­go­sas.

Esta abor­da­gem, fei­ta pelas mãos de um tera­peu­ta espe­ci­a­li­za­do, tem-se reve­la­do bas­tan­te efi­caz no tra­ta­men­to das fobi­as.”

Refe­rên­cia: Aamodt, S., Wang, S., & Tava­res, D. (2009). Cére­bro: Manu­al do Uti­li­za­dor.
Rosá­lia dos San­tos
Rosá­lia Pinhei­ro dos San­tos